• Boletim revela que 47 municípios possuem alto risco de transmissão da Dengue

Boletim revela que 47 municípios possuem alto risco de transmissão da Dengue

26 Fev, 2024 17:04:08 - Saúde

Florianópolis (SC)

O boletim epidemiológico sobre o Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa), deste ano, revela que 47 municípios de Santa Catarina apresentam alto risco de transmissão de dengue. Além disso, o relatório revela que 69 municípios apresentam médio risco e 34, baixo risco. Os resultados do LIRAa auxiliam a entender o cenário de transmissão das arboviroses no estado.

No LIRAa realizado no ano passado, 41 municípios de Santa Catarina apresentavam alto risco de transmissão de dengue.

Os municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti precisam realizar o levantamento para a identificação de áreas com maior proporção/ocorrência de focos, bem como dos criadouros predominantes, indicando o risco de transmissão de dengue, chikungunya e Zika.

Neste ano, 155 municípios foram orientados a realizar o LIRAa. Porém, três (Apiúna, Itajaí e Penha) não realizaram a atividade devido ao aumento de casos de dengue, cenário que já indica um alto índice de infestação. Nesse caso, foi acordado com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE) a não realização da atividade. Os municípios de Canelinha e Trombudo Central não realizaram a atividade. Com isso, a atividade do LIRAa deste ano foi realizada por 150 municípios.

“Os dados demonstraram um aumento significativo nos municípios classificados com médio risco. Em março de 2023 foram 38,4% dos municípios nessa condição, enquanto este ano o percentual subiu para 46%. Também ocorreu aumento dos municípios classificados em alto risco. Este cenário reflete a realidade que o estado vem enfrentando no ano de 2024 com o aumento de 650% dos casos prováveis de dengue quando comparado ao mesmo período do ano anterior”, alerta João Augusto Brancher Fuck, diretor de vigilância epidemiológica do estado.

Além de apresentar o risco de transmissão das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, o LIRAa fornece informações referentes a quantidade e o tipo de recipientes inspecionados, ou seja, locais que apresentam água, e que podem servir como criadouros para reprodução do mosquito. Foram inspecionados 148.318 depósitos, o que representa um aumento de 17,7% em relação ao LIRAa de 2023, quando foram inspecionados 126.003 depósitos.

Do total de objetos averiguados, a maioria (39%) era de recipientes móveis, como pratinhos de plantas e baldes, seguidos por lixo e sucata (30,1%) e os recipientes fixos como calhas e piscinas (14,8%). 

Estado repassa mais R$ 5 milhões aos municípios para o combate ao Aedes aegypti

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), repassou na última sexta-feira, 23, cerca de R$ 5 milhões aos municípios catarinenses para ações de enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti. Este recurso é referente a segunda parcela do total de R$ 10 milhões, para organização dos 295 municípios a fim de reduzir os casos da doença em 2024. A primeira parcela foi repassada em novembro de 2023.

Estes valores somam-se a outros repasses de recursos próprios aos municípios no montante de 10 milhões de reais para combate à Dengue no primeiro semestre de 2023. O Estado oferece continuamente aos municípios apoio técnico e fornecimento de insumos, como larvicidas, inseticidas e testes diagnósticos, além de veículos para aplicação dos inseticidas. Também foram empregados outros recursos em campanhas de mídia e comunicação social, que somam mais de R$ 7 milhões também durante o ano passado.

“O recurso já está na conta dos municípios. Com ele é possível fazer a contratação de pessoal, ações locais, mutirões de limpezas e outras ações necessárias para evitar a proliferação do mosquito da dengue. As ações de combate neste momento são fundamentais para evitar o aumento significativo de números de casos. O Estado decretou Emergência Epidemiológica em razão da infestação do Aedes aegypti em Santa Catarina, demonstrando a nossa preocupação e agindo na prevenção e no atendimento dos pacientes após o cometimento pela doença”, reforça a secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto.

O auxílio financeiro deverá ser usado pelas secretarias municipais de Saúde para o custeio de ações das atividades previstas nas Diretrizes Estaduais para Vigilância Epidemiológica e Controle das Arboviroses em Santa Catarina, conforme os critérios aprovados pela Comissão Intergestores Bipartite (CIB), por meio da deliberação  693/CIB/2023. A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) está elaborando um documento técnico para orientar os municípios com ações nas quais o recurso financeiro pode ser empregado.

Santa Catarina tem 21.800 casos prováveis de dengue em 204 municípios. Já foram confirmados, no sistema oficial, nove óbitos por dengue em 2024 (6 Joinville, 1 Araquari, 1 Itajaí e 1 Itapiranga). Considerando o atual cenário, além do decreto de emergência e da intensificação das ações, é fundamental que a população compreenda o risco de manter hábitos que permitam a reprodução do mosquito Aedes aegypti.

“Por isso, é preciso um esforço conjunto entre o poder público e a população no controle do Aedes aegypti. Mais do que nunca, é fundamental verificar locais que possam acumular água e eliminá-los. Essa continua sendo a melhor estratégia de prevenção contra a doença”, reforça o diretor da Dive, João Fuck.

Lista dos municípios que receberam os repasses para ações de enfrentamento à Dengue

Plano de Contingência SC

SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO

REDAÇÃO JINEWS
Postado por REDAÇÃO JINEWS

Tudo o que acontece em Içara, Balneário Rincão e na região você encontra primeiro aqui!

coopercocal
Cooperaliança